GM cria 2.630 novos empregos no Brasil

GM cria 2.630 novos empregos no Brasil

GM CRIA 2.630 NOVOS EMPREGOS NO BRASIL

 

 

Complexo Industrial de Gravatai vai ganhar terceiro turno e 2.450 novos empregos, com sucesso de vendas do novo Chevrolet Onix. Fábrica da GM terá 1.450 novas vagas e sistemistas mais 1.000
                                                                                                                                                                         Nova fábrica de motores de Joinville terá 180 novos empregos

GM cria 2.630 novos empregos no Brasil

 

 

O Complexo Industrial Automotivo de Gravataí - CIAG - da General Motors do Brasil, não pára de crescer. Após alcançar a expressiva marca de dois milhões de veículos produzidos, no último dia 13 de dezembro de 2012, a empresa anuncia a criação do terceiro turno de trabalho, que resultará na criação de 2.450 novos empregos (1.450 na fábrica da GM e outros 1.000 nos sistemistas). Atualmente a unidade gaúcha produz os modelos Celta e Onix hatchback e um novo veículo que ainda será lançado no mercado brasileiro. Considerada a fábrica mais moderna e produtiva em todo o Hemisfério Sul, a unidade de Gravataí completou, no ano passado, 12 anos desde sua instalação no Rio Grande do Sul - em 20 de julho de 2000 -, sendo a primeira da GM do Brasil alocada fora do Estado de São Paulo. Situada em um parque junto a outras 19 empresas que fornecem componentes e sistemas para o processo produtivo da GM – os chamados "sistemistas" -, a fábrica é um modelo de operação fabril para diversas companhias em todo o mundo, em especial, a cadeia automotiva.

Não bastasse o ritmo acelerado da linha de montagem da unidade, é pertinente destacar que neste intervalo de tempo – mais especificamente entre junho de 2010 e o final deste ano de 2012 – a fábrica passou pelo seu terceiro ciclo de expansão, o chamado Projeto Onix, que absorveu um investimento de R$ 1,4 bilhão. O projeto Onix já resultou no lançamento, em outubro de 2012, do Onix hatchback, e está previsto para o próximo mês de fevereiro, o lançamento do segundo modelo.

Simultaneamente ao anúncio do terceiro turno na unidade de Gravataí, a GM está anunciando também a contratação de 180 empregados para a nova fábrica de motores e cabeçotes, em Joinville (SC), que já está em operação e será inaugurada oficialmente no próximo dia 27 de fevereiro de 2013. Atualmente a produção está em fase de aceleração e, dentro deste cronograma, está prevista a contratação de novos empregados.

Expansão e produção aceleradas

"O dia de hoje é um marco para a GM do Brasil. O Complexo de Gravataí se consolida como um dos maiores da GM global e não estamos falando apenas da produção crescente mas também em tecnologia. A sua história é muito rica e lembro que envolve muitos colaboradores que hoje atuam nesta fábrica, que apresenta resultados que nos dão a certeza de que o nosso futuro será ainda mais promissor", destaca o presidente da GM América do Sul e GM do Brasil, Jaime Ardila.

"Gravataí hoje representa nossas melhores operações e práticas. É uma unidade que desde o seu planejamento, antes de sua implantação efetiva, foi pensada para ser uma fábrica inovadora. Os números e os feitos por ela atingidos nos demonstram que este é um projeto exitoso", avalia o vice-presidente da GM do Brasil, Marcos Munhoz.

José Eugênio Pinheiro, vice-presidente de Manufatura da GM América do Sul, acrescenta que "a unidade de Gravataí se expandiu rapidamente nos últimos 12 anos de sua existência e continua sendo uma referência sem precedentes em toda a indústria automobilística global. Até hoje continuamos sendo procurados por pessoas ligadas ao setor para conhecer a logística e a eficiência do nosso modelo de produção".

Fábrica modelo global

Os últimos 24 meses entre os anos de 2010 e 2012 foram destinados à ampliação da unidade dentro do chamado Projeto Onix e os processos complementares para a validação dos novos produtos. Especificamente no caso da fábrica da GM, a ampliação adicionou 74 mil novos metros quadrados de área útil aos antigos 216 mil metros quadrados da unidade. Esta expansão física foi realizada visando não somente à adaptação e modernização da linha de montagem em vistas à produção do Chevrolet Onix, mas ainda à ampliação de sua capacidade instalada de produção, que passou de 230 mil unidades/ano para até 380 mil unidades/ano, número este que poderá ser atingido à medida em que, gradativamente, o Onix ganhar volume de produção, conforme sinalização do mercado.

"Tivemos o desafio de conciliar as obras de ampliação, o recebimento de novas máquinas e sistemas e milhares de trabalhadores atuando simultaneamente, ao mesmo tempo em que mantivemos a fábrica funcionando plenamente, sem interrupção e com elevado nível de produtividade. E fomos exitosos", destaca o diretor de operações da GM Gravataí, Camilo Ballesty, responsável pela execução do projeto.

Entre as principais áreas da fábrica - Estamparia, Funilaria, Pintura e Montagem Geral –, as duas primeiras concentraram a maior parte dos investimentos e ampliações.

Na área de Estamparia, uma nova e moderna linha de prensas foi instalada paralelamente às outras duas já existentes. No que diz respeito à tecnologia, a instalação de 450 novos robôs no prédio que comporta a funilaria, dão um pouco da dimensão da qualidade e modernidade do projeto que, assim como a área de pintura, recebeu novas linhas automatizadas e equipamentos de última geração "state of the art".

Na linha de montagem geral, a dinâmica "just in time" de abastecimento de peças e componentes foi ainda mais otimizada com a implementação do "Set Part System" - ou SPS, processo por meio do qual os componentes de tapeçaria são dispostos em gôndolas flexíveis que acompanham individualmente cada veículo montado ao longo da linha. Com isso, é minimizado o tempo empregado para o encaixe das peças em módulos seqüenciais, há maior precisão e organização na montagem de veículos com diferentes versões e combinações de equipamentos e recursos, além conceder mais agilidade no processo.

Uma nova estação de "Marriage" (onde ocorre o acoplamento do motor ao carro), baseada no sistema "Flexible Drive System", contribui significativamente para a melhor ergonomia dos operadores.

No que diz respeito aos sistemistas, o Projeto Onix promoveu a integração de duas novas empresas no Ciag (Denso e Android), além da ampliação de 40% da área útil ocupada pelos mesmos, adicionando 95 mil novos metros quadrados.

Paralelamente ao desenvolvimento e ampliação da fábrica para receber o Onix, o conceito de preservação do meio ambiente, um dos pilares mais expressivos de atuação da GM do Brasil em seus 88 anos de história, foi outro ponto de evolução dentro da unidade de Gravataí. Desde o último mês de agosto, a fábrica tornou-se a primeira unidade fabril da companhia no país a reciclar nada menos que 100% dos resíduos industriais gerados a partir do seu processo produtivo.

Alguns marcos da GM Gravataí:

17/03/1997 – Anúncio do município de Gravataí como sede do Complexo da GM
20/07/2000 – Inauguração oficial do Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (Ciag)
02/09/2000 - Lançamento do Chevrolet Celta
20/05/2005 - Produção do Celta 500.000
01/10/2006 – Lançamento do Chevrolet Prisma
20/05/2008 – Produção do carro "um milhão"
09/06/2010 – Início oficial das obras do Projeto Onix
27/08/2010 – Produção de 1,5 milhão de veículos
30/10/2012 – Lançamento do Chevrolet Onix Hatchback
13/12/2012 – Produção do carro “dois milhões

Fábrica de Joinville, uma das mais sustentáveis do mundo

A GM investiu R$ 350 milhões para construir em Joinville (SC) uma das fábricas mais sustentáveis do mundo. A unidade, que será oficialmente inaugurada dia 27 de fevereiro de 2013, já começou a operar e está em fase de aceleração de produção. Ela é a primeira a implantar um conjunto de sistemas pioneiros na área de eficiência energética e proteção ao meio ambiente, com destaque para a energia fotovoltaica, reciclagem de água industrial por meio de osmose reversa e tratamento de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes. A nova fábrica tem uma capacidade inicial de produção de 120 mil motores e 200 mil cabeçotes de alumínio por ano, destinados às fábricas da GM de Gravataí (RS) e Rosario (Argentina).

As iniciativas, que fazem dela uma fábrica sustentável, incluem o primeiro sistema de geração de energia fotovoltaica da indústria automotiva brasileira. A unidade será uma das primeiras do Brasil a ter 100% dos resíduos industriais reciclados ("landfill free"), além de incorporar o tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes e reciclagem da água industrial por meio de osmose reversa, dentre outros.

Os sistemas pioneiros nas áreas de eficiência energética e proteção ao meio ambiente credenciam a fábrica à certificação global do LEED Leadership in Energy and Environmental Design, em processo de obtenção.