Empregados da GM trabalham para transformar a indústria automotiva

Empregados da GM trabalham para transformara indústria automotiva.

Relatório de sustentabilidade descreve o progresso do veículo e de sua fabricação; estabelece novas metas

DETROIT- O recém-lançado relatório de sustentabilidade da General Motors narra os esforços dos 216 mil empregados da empresa de colocar em prática os objetivos e valores recém-definidos da GM para garantir a lealdade dos nossos clientes, aplicar avanços tecnológicos significativos e melhorar as comunidades onde atuam.

Essas ações – lideradas por Mary Barra, CEO da General Motors – transmitem maior sustentabilidade à cultura da empresa por meio do desenvolvimento de veículos mais seguros e mais inteligentes com menor impacto ambiental.

"A GM terá um papel de liderança na transformação da indústria automobilística a medida que atravessa um período sem precedentes de mudança", disse Bob Ferguson, vice-presidente sênior de Política Pública Global da GM. "Desde os laboratórios da GM até suas linhas de montagem, nosso pessoal se esforça para tornar o mundo um lugar melhor por meio da mobilidade".

A empresa acredita que o futuro é elétrico, com bilhões em investimento para apoiar uma abordagem interna ao desenvolvimento e fabricação de veículos eletrificados. Atualmente, a empresa contabiliza 180.834 unidades rodando nas estradas dos EUA – a partir de 153.034 em 2013.

• A Chevrolet está ajudando a tornar os veículos eletrificados (EVs) mais predominantes com os seguintes itens:

• Expansão das vendas do Spark EV para Maryland, que tem uma infraestrutura robusta

• Empenho na produção de um veículo elétrico familiar para todos os 50 Estados que chegue a 320 km com uma carga e custe aproximadamente $30.000

• A segunda geração do Volt chega nas concessionárias no final de 2015 a um preço mais baixo do que o original

• Anúncio de uma versão híbrida do Malibu, com previsão de chegar a 47 quilômetros por litro numa combinação cidade/estrada

Além disso, a Cadillac anunciou planos para um plug-in híbrido de seu Cadillac CT6 topo de linha e a Buick oferece tecnologia e-Assist de luz de eletrificação em seus LaCrosse e Regal.

Os esforços da GM se estendem às práticas de fabricação responsável. Em 2014, a empresa parou de usar o carvão como fonte de energia em suas fábricas da América do Norte e continua a investir em energias renováveis em todo o mundo.

Atualmente a empresa utiliza 105 megawatts de energias renováveis – comparado com 66 MW no ano passado – e ultrapassará seu compromisso de 125 MW em 2016 com um novo projeto eólico. Recentemente a GM adicionou quatro parques de painéis solares, expandiu a utilização de gases de aterro sanitário nas instalações em Orion Township, em Michigan e Fort Wayne, Indiana e usa o vapor de processo gerado a partir de resíduos urbanos em sua fábrica de Detroit-Hamtramck.

As 122 instalações “aterro zero” da GM inspiraram uma meta aspiracional de se tornar o primeiro fabricante com todos as fábricas reciclando 100% dos resíduos. Estes esforços de gestão de resíduos ajudam a conter as mudanças climáticas. Os esforços da empresa nas áreas de reciclagem e reutilização em 2014 – 2.5 milhões de toneladas métricas – evitaram emissões equivalentes a mais de 10 milhões de toneladas métricas de CO2, o que mais do que compensa as emissões globais de suas fábricas.

O progresso em relação a outros compromissos globais de manufatura até 2020, definidos com uma linha de base em 2010 inclui:

• Reduzir o uso da água em 11% rumo a uma meta de 15%

• Reduzir o uso de energia e emissões de carbono em 11% cada, rumo a uma meta de 20%

• Reduzir o desperdício total em 23% e estabelecer uma nova meta de 40%

A GM está trabalhando em parceria com organizações para abordar os desafios da sustentabilidade sistêmica enfrentados pela indústria. Entre as colaborações do último ano estão:

• Contatar empresas para aproveitar a oportunidade econômica de enfrentar as alterações climáticas e apoiar as políticas de energia limpa por meio de suporte contínuo da Ceres (Business for Innovative Climate and Energy Policy Climate Declaration).

• Participação do World Resouces Institute, World Wildlife Fund e de um consórcio de empresas para estabelecimento de “Princípios de Compradores de Energia Renovável” para facilitar a aquisição de energias renováveis para todas as empresas.

• Tornar-se membro fundador do Business Renewables Center que visa dobrar a capacidade de geração de energia eólica e solar dos EUA até 2025.

• Estabelecer parceria com o US Business Council for Sustainable Development no desenvolvimento de redes de reutilização, onde resíduos de uma organização podem se tornar insumo para outra empresa, empresário ou artista.

• Trabalhar com fornecedores para analisar oportunidades para reduzir suas pegadas de carbono e água por meio do CDP Action Exchange.

GM do Brasil reduziu 60% do consumo de energia e 73% de água

Ações no campo da sustentabilidade e o apoio a projetos sociais sempre estiveram presentes no histórico da GMB nessas últimas nove décadas.

A subsidiária brasileira desenvolve atualmente modelos com índice de recuperabilidade superior a 96% e de reciclabilidade acima de 85%. O trabalho contínuo de melhoria nos processos ainda fez a empresa reduzir, nos últimos anos, 60% do consumo de energia elétrica e 73% de água para produzir um carro.

Na fábrica de São Caetano do Sul, por exemplo, desde 1989 foi implantado um sistema de reuso do efluente industrial, que é utilizado nos processos industriais, evitando o consumo de água potável.

Estes sistemas possibilitaram o reuso de mais de 225 milhões de litros desde 2011, sendo 22 milhões nos primeiros 6 meses de 2014.

A política ambiental da companhia no Brasil foi reconhecida com importantes premiações, como as certificações inéditas do Wildlife Habitat Council (WHC), pelo trabalho de preservação de áreas verdes e educação ambiental em Gravataí (RS) e São José dos Campos (SP). Além disso, a GM reconhece e estimula os melhores projetos de seus fornecedores e concessionários na área de sustentabilidade.

Além disso, a GM do Brasil, tem em Joinville (SC) uma das fábricas mais sustentáveis do mundo. A unidade é a primeira a implantar um conjunto de sistemas pioneiros na área de eficiência energética e proteção ao meio ambiente, com destaque para a energia fotovoltaica - gerada a partir da luz do sol-, reciclagem de água industrial por meio de osmose reversa e tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes.

As iniciativas, que fazem dela uma fábrica sustentável, incluem processos que a tornam uma das primeiras do Brasil a ter 100% dos resíduos industriais reciclados (landfill free). Pelo programa "Zero Aterro" todos os resíduos do processo produtivo serão reutilizados, reciclados ou coprocessados. Ao todo, a GM tem três fábricas landfil free no Brasil.


A conquista do ENERGY STAR®

A fábrica de Gravataí (RS) e mais treze unidades da General Motors em todo mundo superaram o desafio de economia de energia elétrica para indústrias da agência de proteção ambiental norte-americana, chamado ENERGY STAR®. Com isso, passam a ser 70 unidades de fundição ou de montagem da companhia a atingir tal status, o maior do segmento.

Para alcançar o desafio, as unidades industriais precisam reduzir seu consumo de energia elétrica em, no mínimo, 10% no prazo de até cinco anos. No caso da GM, a economia média foi de 17% nas fábricas recém-certificadas.

Fazendo isso, a GM poupou US$ 33 milhões em custos que teria com energia e reduziu a emissão de 220 mil metros cúbicos de dióxido de carbono. Essa quantidade é comparável ao benefício do plantio de cinco milhões de árvores por dez anos.