A gravata-borboleta da Chevrolet – apresentada pelo cofundador da empresa, William C. Durant, no fim de 1913 – é hoje um dos emblemas mais reconhecidos no mundo todo.
  • g+1

Uma inspiração, várias versões

A gravata-borboleta da Chevrolet – apresentada pelo cofundador da empresa, William C. Durant, no fim de 1913 – é hoje um dos emblemas mais reconhecidos no mundo todo. Mas a forma como ele virou sinônimo da marca é uma história que tem diferentes versões, como a divertida possibilidade de a logomarca ter sido inspirada pelo papel de parede de um hotel francês. Será?A história confirmada pelo próprio Durant é bastante conhecida: ele teria sido inspirado pelo design do papel de parede de um hotel parisiense, conforme consta na publicação oficial The Chevrolet Story [A história da Chevrolet], criada em 1961 para comemorar o 50º aniversário da Chevrolet: “O logotipo se originou na imaginação de Durant quando, viajando o mundo, em 1908, ele viu o padrão que seguia para o infinito como design de um papel de parede num hotel francês. Ele arrancou um pedaço do papel de parede e mostrou a amigos, pensando que daria uma boa placa de carro.”

Uma história irrefutável? Nem tanto. Relatos conflitantes emergiram ao longo das décadas de história, todos com justificativas plausíveis o suficiente para aprofundar o mistério – e sugerir que ele talvez nunca seja resolvido.

Entre as várias versões, há duas que vieram da própria família de Durant. Em 1929, a filha de Durant, Margery, publicou um livro intitulado My Father [Meu pai]. Nele, descreveu como Durant às vezes rabiscava designs de placas para carro em pedaços de papel à mesa de jantar. “Acho que foi entre a sopa e o frango frito, numa noite, que ele esboçou o design usado nos carros Chevrolet até hoje.”

A história que a esposa de Durant contou mais de meio século mais tarde, porém, era outra. Em uma edição de 1986 da revista Chevrolet Pro Management Magazine, baseada em uma entrevista feita treze anos, a viúva do criador da logomarca, Catherine, contou que estava com o marido de férias em Hot Springs, Virgínia, em 1912. Ao olhar um jornal no quarto do hotel, Durant viu um design e exclamou: “Acho que seria um ótimo emblema para a Chevrolet!”

Infelizmente, a senhora Durant não deu mais informações a respeito, além da memória que tinha. Esse pedacinho de informação, porém, inspirou Ken Kaufmann, historiador e editor da revista The Chevrolet Review, a pesquisar sua veracidade. Em uma edição de 12 de novembro de 1911 do jornal The Constitution, publicado em Atlanta, a Southern Compressed Coal Company veiculou um anúncio de “Coalettes”, um produto de combustível refinado para incêndios. O logo de “Coalettes”, da forma como foi publicado no anúncio, tinha uma gravata-borboleta inclinada, muito parecida com a forma que logo se tornaria o ícone da Chevrolet. Seria verdade, então, que Durant e sua esposa viram o mesmo anúncio ou um parecido no ano seguinte, alguns estados ao norte? A edição do jornal precedia em apenas nove dias a incorporação da Chevrolet Motor Company.

E, por fim, resta uma teoria também bastante plausível que fugiria um pouco das histórias de Durant. A última versão dessa história diz que o desenho seria na realidade uma versão estilizada da bandeira suíça, homenagem a Louis Chevrolet, que nasceu no país, em La Chaux-de-Fonds, distrito de Neuchâtel, de pais franceses, no Natal de 1878.

As grandes lendas sempre estão ao redor das grandes histórias.